Organizar as finanças e conseguir adequar os gastos à renda mensal. Pode até parecer simples, mas muitas pessoas ainda sofrem com questões como estas e não levam em consideração as etapas da vida para estipular metas e objetivos financeiros.

planta
Os especialistas em finanças ressaltam que o orçamento pode ser adequado para as diferentes fases da vida, desde os jovens, que normalmente ainda não têm uma família constituída e possuem gastos específicos, com diversão, roupas e estudos, por exemplo, até os aposentados, que já não estão mais no mercado de trabalho e possuem outros tipos de gastos, com saúde e medicamentos, por exemplo.
Dos 20 aos 30 anos Nesta idade, muitas vezes, o jovem ainda mora com os pais e não possui tantas responsabilidades financeiras. Por isso, segundo a especialista em finanças e diretora do The Money Camp, Silvia Alambert, esta é a hora de tentar economizar o máximo possível e aproveitar para investir.

A opinião é compartilhada pelo educador financeiro e sócio fundador da Mais Ativos, Álvaro Modernell. “O ideal mesmo é que os próprios pais comecem a pensar na aposentadoria dos filhos. Se isso não acontecer, o jovem deve se preocupar com isso assim que conseguir o primeiro emprego e já destinar uma parte da renda”, afirma Modernell.
“Nessa faixa etária, para aqueles que ainda moram com os pais e já possuem uma renda mensal, é possível direcionar de 35% até 50% do salário para uma conta de investimento”, ressalta.
Para a educadora, é importante começar a pensar na aposentadoria desde muito cedo, para evitar grandes esforços financeiros ao longo da vida. “O quanto antes se começar a pensar nisso, melhor. Quanto mais o tempo vai passando, mais difícil de alcançar determinado objetivo”, diz a educadora.